Resenha - Fique Comigo


Fique Comigo

Autor: Harlan Coben
Editora: Arqueiro
Classificação: Literatura Estrangeira / Suspense
Páginas: 288
Ano: 2013


Quem me conhece sabe o quanto sou fã de Harlan Coben. Os livros dele são garantia de boa leitura. Já li quase todos os publicados no Brasil, e sempre fiquei muito satisfeita. Fique Comigo também agradou, mas não foi o melhor de Harlan Coben.
O livro, narrado em terceira pessoa, conta com três personagens principais:
Ray Levine, fotógrafo decadente, já teve seu trabalho reconhecido e respeitado, mas agora trabalha em uma empresa chamada Celeb Experience: Paparazzi de Aluguel. Ele trabalha se fingindo de paparazzo para massagear o ego de jovens endinheirados e com problemas de auto estima. E se sente um verdadeiro lixo por se sujeitar a esse tipo de trabalho.

“40 anos, uma lata velha na garagem, um apartamento de subsolo que, se passasse por uma reforma pesada, talvez pudesse ser chamado de espelunca, nenhuma perspectiva, bebendo mais que devia. Poderia lamentar a própria vida, mas, pensando bem, para isso teria que se importar com ela.”


Megan Pierce, típica dona de casa rica, tem o marido perfeito, a casa dos sonhos, dois filhos lindos, mas apesar disso tudo se sente insatisfeita. Megan, que antes era conhecida como Cassie, tem uma vida perfeita, mas sente falta do que viveu no passado. As lembranças desse passado secreto a atormentam e a fazem buscar por algo até então impensado.

“... Megan ainda ansiava por aqueles quartos escuros, pelos olhares lascivos e famintos de estranhos, pela música repetitiva e pulsante, pelas luzes alucinantes, pelos picos de adrenalina...”
“ ...porque somos forçados a escolher um só caminho? Por que insistirmos que só pode haver um “eu”, uma vida que nos define por completo?”

Broome é um detetive incapaz de esquecer um caso não solucionado. Há 17 anos, Stewart Green está desaparecido, deixando esposa e dois filhos com suas vidas em suspenso. Broome foi designado para o caso, mas nunca conseguiu solucionar o mistério do desaparecimento de Stewart. Durante todos esses anos, Broome visita a família de Stewart no aniversário de seu desaparecimento, como se fosse uma obrigação. Mas Broome sabe que Stewart não era nenhum santo, que tinha seus segredos. Mas sempre procurou desvendar o mistério, para que sua família pudesse seguir em frente.

“Era como se a casa se recusasse a seguir em frente, como se as paredes e o teto estivessem de luto, esperando. Ou talvez aquilo fosse apenas um mecanismo de defesa. As pessoas precisavam de respostas. Precisavam de um desfecho. A esperança, Broome sabia muito bem, pode ser uma coisa maravilhosa. Mas também pode arrasar alguém dia após dia. A esperança pode ser a coisa mais cruel do mundo.”

Estes três personagens estão ligados por um passado cheio de mistério, crimes e mentiras. E serão forçados a remexer nesse passado, quando outro homem, Carlton Flynn também desaparece, e Broome consegue encontrar uma ligação entre os casos, um padrão, chegando a conclusão de que há um serial killer a solta, e que outros homens também se encontram desaparecidos nas mesmas circunstâncias. O que todos esses homens têm em comum? Como as vidas de Megan, Ray e Broome estão interligadas? Fique Comigo nos mostra principalmente, como as consequências de nossas escolhas podem nos afetar para o resto de nossas vidas.

Os livros de Harlan são sensacionais. A escrita dele é perfeita, não é a toa que ele é conhecido como “o mestre das noites em claro”. Seus livros tem o poder de nos prender, e em sua grande maioria, nos deixar estupefatos no final, sempre com um desfecho inesperado. Não foi exatamente assim com Fique Comigo. Não sei se é porque já li muitos dos seus livros, mas a sensação que tive durante a leitura, é de que já conhecia aquela história. Não foi difícil “matar” a charada. Mas isso não quer dizer que o livro não é bom, muito pelo contrário, é um Coben! Sempre é bom! Sempre vale a pena.
Uma crítica, que não sei bem a quem direcionar. Creio que o trabalho de tradução, não sei ao certo. Bem no final do livro, há uma citação a um advogado, Hester Crimstein. Quem acompanha os livros do Coben, sabe bem que Hester Crimstein é uma mulher, que erroneamente foi descrito com um homem em Fique Comigo. Pegou mal.

Michelle

5 comentários:

Roberta Vicente disse...

Harlan, ai, Harlan... Li um livro dele até hoje, sabe? Aquele "Não Conte a Ninguém" e achei incrível!

Depois dessa sua resenha, vou ter que adicioná - lo aos favoritos... Hahaha

Beijos!
http://pilhadecultura.blogspot.com.br/

Lú Miranda disse...

Harlan é o cara, vejo muita gente falando bem dele, espero um dia poder ler algo dele. Até tenho um livro dele, mas quero reler.
Adorei a resenha.
ps: não se preocupe, tudo normal.
Clicandolivros.blogspot.com.br
Beijos <3

Hellen disse...

Eu só li dois livros da Harlan, mas amei! Ele é o novo cara da literatura policial. Acho ele incrível.
Amei a resenha, fiquei com vontade de ler outros livros dele

beijos

http://oacucareiro.wordpress.com/

Bru Souza disse...

oi, não conhecia o livro, mas gostei dos seus comentários, deu vontade de ler rs.

tem promoção lá no blog! Participa lá!
bjus
meumundinhoficticio.blogspot.com.br

Amanda T. disse...

Não sou muito fã de policiais, mas Tess Gerritsen e Harlan Coben me conquistaram! Do Coben eu só li Cilada e Alta tensão; queria ler outros e sua resenha com certeza fez esse entrar na lista!

Um beijo
escolhasliterarias.blogspot.com.br

Postar um comentário